- Notícias

Mato alto e tempo seco aumentam o risco de incêndio em área da ALL

Os requerimentos assinados pelo vereador Julinho Lopes (PP), aprovados por unanimidade pela Câmara Municipal, em julho de 2011 e fevereiro deste ano, referentes ao estado de abandono de área localizada na região onde situam-se os bairros Vila Alemã e Vila Indaiá seguem sem resposta da empresa responsável: América Latina Logística – ALL.

A situação causa indignação dos rio-clarenses, por tratar-se de terreno localizado em área nobre da cidade – Rua 3-B entre as Avenidas 8-A e 24-A – e preocupa as famílias que residem na Vila Indaiá. “Solicitei providências à ALL e até agora não recebi nenhuma resposta”, afirma Julinho Lopes.

Na avaliação do parlamentar, cabe interferência do poder público municipal já que o problema está dentro da cidade trazendo transtornos para pessoas que pagam os seus impostos corretamente. “A meu ver, a Secretaria Municipal de Agricultura deve determinar à ALL que faça a limpeza da área urgentemente. Em caso de negativa, a prefeitura deve acionar o seu departamento jurídico para tomar as medidas necessárias”, comenta Julinho Lopes. “Se for o caso, vamos levar o problema ao conhecimento do Ministério Público. De uma forma ou de outra, este impasse precisa ter um fim”, acrescenta o parlamentar.

A tensão na Vila Indaiá, nesta época do ano onde o tempo seco predomina, é com o risco de incêndio. O mato alto, além de contribuir para a proliferação de insetos e animais peçonhentos, pode pegar fogo com uma simples bituca de cigarro acesa. “O problema estende-se pela Avenida 24-A entre as Ruas 3-A e 6-A, na Vila Alemã, e segue pela Rua 3-B até a Avenida 8-A. Trata-se de uma área extensa que está abandonada há muito tempo”, frisa Julinho Lopes.

A transferência das oficinas ferroviárias, da área central para o Jardim Guanabara, está na pauta de trabalho do governo municipal, mas, alerta o vereador, enquanto a medida não se torna realidade é preciso pelo menos providenciar a limpeza da área.

Em março deste ano, Julinho Lopes enviou ofício ao Governo Altimari onde solicitou ao Departamento de Zoonoses vistoria na área da ALL com o objetivo de verificar a existência de focos de criadouros do mosquito da dengue e de animais peçonhentos. “Vamos acompanhar de perto esta situação triste, porém, real”, finaliza.