- Infraestrutura, Meio ambiente, Notícias

Através de permissões, governo paulista projeta antigo Horto como locomotiva do turismo em RC

Júlio Lopes e Juninho da Padaria na reunião com Ricardo Salles em São Paulo

Questionamentos dos motivos pelos quais a Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade, a Feena, conhecida como antigo Horto, não conta com atrativos nas áreas da gastronomia, entretenimento, entre outros, foram debatidos na Secretaria de Estado do Meio Ambiente, com o titular da pasta Ricardo Salles na semana passada. Na oportunidade, a Câmara Municipal foi representada pelos vereadores Juninho da Padaria – que assume a Prefeitura de Rio Claro no próximo mês – e Júlio Lopes.

Em sua fala, Juninho da Padaria destacou para o secretário que a Floresta, hoje em estado de abandono, tem potencial para ser a locomotiva do turismo na cidade. O parlamentar salientou que muitas pessoas, em Rio Claro, questionam o fato do local não ser utilizado de forma correta para atender às expectativas da comunidade bem como atrair a atenção de turistas de outras cidades.

“Temos uma importante reserva verde que a meu ver agoniza por falta de atenção dos poderes legalmente constituídos”, disse o prefeito eleito. “No município, as pessoas questionam com freqüência o motivo que a Floresta não conta com ferramentas de atendimento ao público como restaurante, espaço infantil, entre outras atrações”, acrescentou o parlamentar ao solicitar atenção da Secretaria Estadual de Meio Ambiente.

Na mesma rota, Júlio Lopes frisou ao secretário Salles que pessoas com atuações em diversas áreas buscam informações do que fazer para que investimentos possam ser feitos na Floresta. “Hoje, a Floresta já conta com número considerável de visitantes, nos finais de semana, sem ter nenhum atrativo fora o cheiro dos eucaliptos e a paisagem que é um verdadeiro cartão postal”, assinala. “Precisamos encontrar caminho para reverter esta situação”, comentou.

Em resposta as solicitações feitas pelos vereadores, Ricardo Salles observou que é possível liberar investimentos na Floresta como forma de projetá-la como locomotiva do turismo em Rio Claro e região. “O governo paulista tem como liberar permissões de uso. Para isso, existem algumas etapas que precisam ser respeitadas”, disse o secretário. “Vamos avançar neste sentido”, completou.