- Meio ambiente, Notícias, Tecnologia

Vereador busca trazer para Rio Claro solução tecnológica para arborização urbana

Desde a última segunda-feira (02) acontece no município de Santos, no Mendes Convention Center, o 62º Congresso Estadual de Municípios, e que tem prosseguimento até a próxima sexta-feira (07). O vereador Julinho Lopes (Progressistas) encontra-se na cidade praiana a fim de participar do evento e buscar soluções em diversos âmbitos para Rio Claro. Nesta terça-feira (03), o parlamentar participou de plenária cujo tema foi “Políticas Municipais para Pessoas com Deficiência”. Na sequência, participou de painel com o pré-candidato à presidência, Ciro Gomes.

Julinho Lopes pôde conhecer um projeto relacionado à arborização, mais especificamente soluções tecnológicas destinadas às florestas urbanas, e que é desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT). O parlamentar pretender trazer a iniciativa para Rio Claro

À procura de benfeitorias para Rio Claro, Julinho Lopes conheceu de perto um projeto que envolve arborização, mais especificamente soluções tecnológicas para florestas urbanas, e é desenvolvido pelo Instituto de Pesquisas Tecnológicas do Estado de São Paulo (IPT), que apoia políticas públicas e dá suporto tecnológico às atividades que Estado, prefeituras e órgãos estatais desenvolvem a fim de assegurar o bem estar da sociedade e catalisar o desenvolvimento social e econômico do país.

Levando-se em consideração que Rio Claro foi um dos municípios escolhidos pelo governo estadual para aderir à Plataforma IPT Pró Municípios, Julinho Lopes irá solicitar ao Poder Executivo rio-clarense que a cidade passe a adotar esse o método disponibilizado pelo IPT, que consiste na avaliação do estado das árvores e que analisa o risco de queda. Para tanto, há um software que se encarrega da questão da arborização urbana, focando, sobretudo, nos riscos. Há, neste sentido, treinamento, bem como capacitação, além do apoio tecnológico ao Plano de Arborização Urbana (PDAU). O diagnóstico pode ser realizado em espécimes situadas em parques, praças, condomínios e em árvores históricas.

O vereador conversou com a especialista responsável, que a ele apontou os benefícios que a iniciativa pode proporcionar ao município, como o fato de minimizar os riscos de quedas, evitando, por decorrência, danos humanos e materiais, além da maximização dos benefícios ambientais da arborização urbana. “Ações tecnológicas do gênero em prol do meio ambiente são relevantes. Vou solicitar ao prefeito que adote este método que, com o diagnóstico devido com relação às árvores, trará maior segurança à população”, elucidou Julinho Lopes.