- Homenagem, Notícias

Jornalista recebe homenagem na Câmara Municipal

Com trajetória na imprensa escrita e falada, bem como trabalhos no campo cinematográfico, o jornalista Lourenço Favari recebeu Medalha de Honra ao Mérito na Câmara Municipal na última segunda-feira, 17/6. A homenagem segue Decreto Legislativo de autoria do vereador Rafael Andreeta (PTB).

Lourenço Favari recebeu Medalha de Honra ao Mérito no Plenário da Câmara

Acompanhado da esposa Letícia, da mãe Maria Jordina, filhos Pedro e Gregório e demais familiares, Lourenço Favari agradeceu ao Legislativo através de Rafael Andreeta. “Entendo a comunicação como ferramenta de transformação social. Dedico essa premiação a todas as pessoas que de alguma maneira contribuem na minha caminhada profissional”, comentou o homenageado.

Em sua fala, Rafael Andreeta destacou o trabalho desenvolvido por Lourenço semanalmente nas coberturas das sessões da Câmara. “Ele cumpre o papel de informar com transparência. Ocupa importante espaço na imprensa local. Parabenizo-o pelos trabalhos desenvolvidos”, disse o vereador.

Histórico

Iniciou sua atividade escrevendo no jornal estudantil Opinião na escola Estadual Marciano de Toledo Pizza em 2001. Teve breve participação no jornal interno do Daae denominado “A Voz” editado por Odair Favari, irmão do jornalista.

Influenciados pela trupe do Pasquim 21 (relançado em 2002, por Ziraldo, que pretendia retomar a clássica publicação da década de 60) grupo de escritores, jornalistas e artistas de Rio Claro se uniram na criação de uma nova publicação, que foi denominada de O Beta (em referência ao jornal O Alpha, publicado em Rio Claro de 1901 a 1928). Lourenço Favari foi um dos fundadores do mensário que teve curta duração (apenas dois anos), mas foi um importante veículo na divulgação da cultura e da política, conforme destacado na hemeroteca do Arquivo Público Histórico de Rio Claro.

Passou pelas redações do O Jornal e Jornal Regional onde foi um dos responsáveis pela primeira reformulação gráfica e editorial em 2010 ao lado dos jornalistas Alba Soares e Carlos Aguiar.

Mesmo atuando na imprensa do município, Favari lançou de forma independente a Revista Cineminha, publicação mensal distribuída nacionalmente e que versava sobre cinema independente. Contou com colaborações de diferentes autores e ficou entres as cinco melhores publicações independentes do país no Prêmio Dynamite em 2012.

Em paralelo dirigiu os curtas-metragens Ista, Moto Perpétuo, Felicidade, Não é Um Ensaio e Roberto Palmari dos Outros. Participou do projeto Filmes Para Baixar e Interferir (FBI) do coletivo Cinema 8 de Porto Alegre, que resultou na produção do curta A Virgem, que foi exibido em sessão especial em Poa. Seu último trabalho como diretor de curtas foi Uma Arma Para Dois.

Já no Jornal Cidade, em Rio Claro, foi editor de Cultura e comentarista do programa Redação em Debate veiculado na rádio Excelsior Jovem Pan News e que discutia o cenário político local, estadual e nacional.

Lourenço Favari é autor, coordenador de pesquisa e editor do livro “Oito Décadas do Jornal Cidade de Rio Claro: Patrimônio Cultural” (ISBN 978-85-65900-01-0), que foi lançado em outubro de 2017.

Foi ainda colunista e redator da revista JC Magazine, do Grupo JC de Comunicação.

De 2009 a 2011 foi redator e conselheiro editorial da Revista do Arquivo, editada pelo Arquivo Público Municipal de Rio Claro. Pela instituição escreveu sobre a história da pintora Ilara e do professor Victorino Machado, do historiador Paulo Rodrigues e do cineasta Roberto Palmari.

Foi colaborador do portal de cultura pop Contraversão, editado por Raphael Fernandes (editor e roteirista de histórias em quadrinhos) e Fernando Barone.

Teve importante atuação na criação do Conselho de Cultura de Rio Claro em 2012, quando redigiu a redação da lei, que foi aprovada posteriormente, e participou da construção do primeiro Plano Decenal, que não foi colocado em prática naquele momento.

Atualmente o jornalista, que acredita no jornalismo como ferramenta de transformação social, é editor de política do Diário do Rio Claro (um dos jornais mais antigos do Brasil em circulação), no qual publica a coluna Camarária Part.2 e é responsável pela coluna de cultura pop Millennium.